. Capa de Pica... ou melhor, Camisa de Vênus! - Rock Blues
junho 24, 2021

Rock Blues

Ribeirão

Capa de Pica… ou melhor, Camisa de Vênus!

Soltar um palavrão hoje é a coisa mais normal do mundo, ou aceitável. Mas entremos em uma máquina do tempo e não vamos voltar muito. Vamos para 1980.

Claro, os palavrões eram ditos, mas não havia qualquer aceitação. Era insulto mesmo.

Vamos levar isso para a música e para o ano em questão, quando vivíamos os períodos de Censura e de Ditadura Militar.

Bom, é nesse cenário que surge [mais um bom baiano] o Camisa de Vênus. E ai meu amigo, temos boas histórias.

O próprio nome da banda baiana era para muitos um afronte aos bons costumes. Diz a lenda que Marcelo Nova, antes de fechar o contrato para a prensagem do primeiro LP, que leva o nome da banda, foi chamado pelo executivo da gravadora Som Livre, João Araújo [pai do Cazuza], que teria pedido ao vocalista para trocar o nome da banda. Marcelo Nova teria dito sim e sugeriu Capa de Pica. Ficou Camisa de Vênus.

Outra história interessante é com relação ao surgimento do nome. As histórias do rock trazem que durante um ensaio, com a banda ainda sem o seu nome, uma pessoa teria dito que o som incomodava muito. Nova pensou em incomodo e em camisa de vênus, o preservativo, que também o incomodava. Foi o início.

Enfim lançado o primeiro LP, que foi foda, a banda teve o primeiro de muitos problemas com a Censura. A música Bete Morreu, que rapidamente se tornou um sucesso, foi proibida pelos militares de ser tocada nas rádios. Cara, pra mim foi um tiro no pé, porque pra quem tinha o LP, emprestava ou o gravava em K7 e a gente espelhava para quem não tinha e curtia. Acho que contribuiu para o sucesso.

Esse foi apenas um dos problemas com a Censura, uma vez que o Camisa de Vênus não poupava, com sua linguagem que para muitos era suja ou inapropriada, os, digamos, mais ortodoxos.

Mas os militares não impediram, apesar das inúmeras ações, o sucesso da banda. Felizmente para nós que pudemos curtir o som e os showzaços dos baianos.

Falando em show. Meses atrás durante o RockRunRibeirão, na Cervejaria Maltesa, durante um intervalo da banda Nice Trip, conversando com o brother Tiago Adorno, vocalista e guitarrista, e com PP Jones, também colunista deste Rock Blues Ribeirão, surgiu uma pergunta de qual seria o melhor show de rock nacional que tínhamos assistido. Eu e um deles [não lembro quem] respondemos ao mesmo tempo: Camisa de Vênus.

E pra mim foi mesmo. Esse show que falo foi em Franca, dentro de um galpão da então Francal. Foi uma alta energia do começo ao fim. Não estou falando do melhor som, da melhor música, do melhor ambiente. Falo de algo que você curte do início ao fim, e que se durasse algumas horas a mais, todo mundo continuaria na mesma vibe.

Valeu pessoal, mais um pouco de histórias e se tiver alguma relacionado ao Camisa de Vênus, me conte… até.