. O Camaleão do Rock - Rock Blues
junho 22, 2021

Rock Blues

Ribeirão

O Camaleão do Rock

Pra começar a conversa: não sou músico e tudo o que eu escrevi ou escrever não entenda com o olhar técnico de quem estudou ou estuda música. Talvez isso até ajude os catedráticos musicais com uma visão mais comum de quem é admirador, curtidor, expectador e fã.

Digo isso para justificar o escolhido dessa semana: David Bowie, o Camaleão do Rock. Quando converso com quem entende do assunto, muitos apontam o britânico como um dos melhores ou um dos mais influentes de todos os tempos.

Para quem tá do lado de cá, não há muito que questionar. Do início ao fim, o cara sempre esteve entre os grandes.

 Como meu tema aqui é contar história, as minhas são relacionadas a filmes e ao LP que tenho. Nem vou entrar no mérito dos monstruosos sucessos e suas ricas contribuições.

Se você der uma busca na filmografia de Bowie verá que ele tinha uma relação muito próxima com a Sétima Arte. O primeiro filme que me vem à mente é Labirinto – A Magia do Tempo, sucesso nos anos 80, em que ele era o Rei dos Duendes.  ‘As The World Falls Down’ fez tanto ou até mais sucesso que o filme. Você lembra-se do filme? Talvez tenha dançado uma ‘lentinha’ ao som de Bowie.

Um dos filmes biográficos que mais gosto é Basquiat. Nele também está o Camaleão. Tem outros, como por exemplo, o aclamado ‘Eu, Cristiane F’. São tantos filmes que daria para ficar escrevendo por horas e citar a carreira como ator. Mas vale a pena conferir.

Sobre discos, o LP que tenho não é o mais brilhante. ‘Never Let Me Down’ foi sucesso, mas os fãs não curtem muito. Enfim, respeitemos as opiniões. Eu na verdade gosto muito.

Bowie nos deixou em 2016, mas seu legado é imenso.

Uma dica é assistir por streaming ‘Stardust’. Lançado ano passado, a obra é uma cinebiografia não autorizada que mostra, entre outras coisas, o processo de inspiração para a criação do alter ego de David Bowie, Ziggy Stardust.